12 lugares para assistir ao pôr do sol fabuloso de Salvador

Salvar nos favoritos
JAMnoMAM Foto: Lilia Rizerio / Divulgação

Dos clássicos, reservados e até inusitados. Vem conosco curtir o céu mudar de cor

Aproveite a lista para continuar a sonhar… e se planejar para vivenciar Salvador intensamente

Pôr do Sol. Barra. Salvador Bahia Foto Amanda Oliveira.

O sol nasce e se põe em qualquer canto do mundo. Mas vamos combinar que tem lugares que são mais agraciados pela natureza. Arrodeada de água, Salvador reserva sempre um espetáculo em cada pôr do sol. É que, além da exuberância da Baía de Todos os Santos, a cidade tem uma grande costa litorânea voltada para o oeste – lado onde o sol desaparece no horizonte.

Você pode ficar uma semana passeando na capital baiana e vendo um pôr-do-sol a cada dia, de ângulos diferentes, que não irá se cansar. Uns lugares são clássicos, outros mais reservados e alguns chegam até a ser inusitados. Uns com um ar mais romântico, outros ideais para um momento de reflexão a sós ou ainda um encontro com amigos.

Até onde o sol se esconde nesta hora do dia, como no bairro de Itapuã, a silhueta da cidade é encantadora para se apreciar em um banho de mar revigorante. Descubra aqui no Visit Salvador da Bahia algumas dicas de passeios imperdíveis nessa cidade apaixonante.

Para esse passeio virtual, através de fotos e textos, sugerimos que ligue o som e escute um álbum que harmoniza perfeitamente com qualquer uma de nossas dicas: Solo in Tokyo, de Moreno Veloso. Tem cara de pôr do sol à beira mar. Dá até para sentir o cheiro da brisa. E para o dia que você puder voltar a curtir a rua, tente seguir essa lista de sugestões, uma a uma. Faça um roteiro bem legal por Salvador escutando esta playlist e escolha seu pôr do sol predileto para finalizar o dia.

Uma playlist para ver o céu mudar de cor. Salve e dê o play!

Aplaudir o astro rei no Farol da Barra

Farol da Barra. Salvador Bahia. Foto Tercio Campelo.

Vir a Salvador e não ver o pôr do sol no Farol da Barra é como vir a Salvador e não comer acarajé! Impossível!. Parafraseando os Novos Baianos, quando o sol se põe, vem o farol iluminar as águas da Bahia. É lindo! E dá para assistir a este fim da tarde dentro do mar que o cerca – dentro de um barquinho ou tomando um bom banho naquelas águas tranquilas – ou sentado na grama ao redor do Farol, de onde as pessoas aplaudem o astro rei. Bem provável que você se depare com um ambiente bastante diverso, que tem de casais apaixonados a grupos de amigos tocando violão.

Outra ótima opção é subir a torre do Forte Santo Antônio da Barra. O Farol da Barra abriga o Museu Náutico da Bahia, que conta com um acervo histórico formado por objetos de diversas épocas. De lá de cima, é possível ver toda a extensão da praia da Barra. Do Cristo ao Porto. É um passeio imperdível!

Farol da Barra

Dentro do barco, retornando de um dia de passeio nas Ilhas

Cruzar as águas tranquilas da baía e ainda ver um dos 20 Saveiros que restauram, é uma experiência inesquecível.

Nem precisa sair de Salvador para ir a uma ilha. Descubra as Ilhas de Maré e a dos Frades, que têm praias lindas para curtir o dia. Dá para ir de barquinho pequeno, escuna ou lancha que saem de São Thomé de Paripe (Subúrbio Ferroviário), do Terminal Turístico Náutico da Bahia (Comércio) ou da Bahia Marina (Av. Contorno). Passeios para todos os gostos e bolsos.

 

Praia São Tomé De Paripe Salvador Bahia. Foto: Amanda Oliveira .

Praia de São Tomé de Paripe

A dica é deixar para retornar do passeio no final da tarde para aproveitar o pôr do sol dentro do mar da Baía de Todos os Santos. A sensação é de que é possível tocar o sol de tão próximo que parece. A água fica dourada e quentinha. Se optar por um barco pequeno, é possível pedir ao marinheiro que pare para que você possa dar um mergulho enquanto aprecia o entardecer. O pensamento vai longe naquele cenário. É um passeio que vale por toda a viagem a Salvador.

Praia da Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe

Terraço do Glauber

Pôr do sol na Praça Castro Alves. Salvador Bahia.

O Espaço Itaú de cinema é um charme. Carinhosamente apelidado de Glauber Rocha, fica de frente para a Praça Castro Alves e para a maravilhosa Baía de Todos os Santos. Junto com o Teatro Gregório de Mattos e o Espaço Cultural da Barroquinha – que são ali coladinhos – formam uma verdadeira “zona cultural”, além de ter ao lado, também, a Rua do Couro, com bolsas, roupas, chapéus, sapatos e sandálias, símbolos da produção artesanal nordestina.

Se a localização já é excelente, sua arquitetura com grandes janelas de vidro dá uma ampla visão da Baía e dos prédios históricos no Centro de Salvador. Além das salas de cinema e da pipoca quentinha, tem uma cafeteria, uma livraria (LDM) e um restaurante (Na Praça Restaurante). E se a cereja do bolo fica no topo, suba até o terraço e surpreenda-se.

Com o pôr do sol mais lindo da terra de todos os santos, do terraço você tem a percepção perfeita da conexão entre o urbano e a natureza: dá para ver o emblemático Edifício Sulacap (ponto final dos carnavais do Circuito Campo grande); o Hotel Fasano (construção emblemática dos anos 30); Palácio dos Esportes (onde ficava o lendário Teatro São João), entre muitos outros. Em contrapartida, aquele marzão todo na sua frente, um horizonte infinito e embarcações para compor o visual.

FASANO Salvador

Basta você ir uma vez para se apaixonar. Por mais que não tenha estrutura com cadeiras, etc e tal, vale demais o passeio. E tem mais: quando tudo isso passar, fique de olho também na programação cultural. Já aconteceram eventos bem legais lá em cima com gente linda e muita música boa, assim você chega para o pôr do sol e já fica para a balada.

Serviço para quando voltar a funcionar

Endereço: Praça Castro Alves, s/n – Centro. Horário de funcionamento: das 12h30 às 21h, em todos os dias da semana. Telefone: (71) 3011-4706. Entrada: gratuita.

No meio do Pelourinho

Casa do Amarelindo (Hotel). Pelourinho, Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

E que tal tomar um drink ou um café assistindo ao pôr-do-sol depois de um dia inteiro passeando pelo Pelourinho? O Hotel Casa do Amarelindo fica em uma daquelas casas coloridas, pertinho da Sorveteria A Cubana, nas proximidades da Fundação Casa de Jorge Amado. E olha que legal: é aberto ao público e você só paga o que consumir.

Lá do alto, com vista panorâmica para o Porto de Salvador, você pode sentar confortavelmente, escutando uma música ambiente e ainda pode escolher comidas e bebidas do restaurante do hotel. Em uma mansão colonial do século XIX, de frente para a Baía de Todos os Santos, você pode testar seus conhecimentos e ficar adivinhando as construções que formam uma colagem arquitetônica no horizonte. Só para despertar a curiosidade: você consegue ver a praia de Boa Viagem e a Igreja do Bonfim de lá.

5 hotéis super charmosos em Salvador

Do mar ou do mirante

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Yandara Natasha (@yandaranatasha) em

A Vila Brandão tem uma vista de tirar o fôlego! Fundada por um pescador, a comunidade preserva, ainda hoje, a simplicidade e a receptividade dos seus moradores. Toda a sua pequena extensão é abraçada pela Baía de Todos os Santos, o que torna o pôr do sol ainda mais especial.

Se topar um pouco mais de aventura, pode nadar até o “mirante flutuante” da vila. Em uma pequena extensão de concreto, sem paredes e com baixa altura acima da água, é possível ver o sol tocando o mar no entardecer. Estar na mesma perspectiva do horizonte torna o pôr do sol ainda mais encantador. Ah! Dá pra chegar, também, de barco.

Quem chega pelo Mirante Wildberger, que fica atrás da Igreja da Vitória, pode descer as escadarias e ver de dentro da comunidade o entardecer. Outra pedida é ficar lá em cima mesmo, no mirante. A vista alcança as ilhas de Itaparica, Frades e Maré, além de ter uma árvore fabulosa, fazendo o cenário perfeito para suas fotos.

Igreja do Santíssimo Sacramento do Passo

Igreja do Santíssimo Sacramento do Passo. Santo Antônio Além do Carmo. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Famosa pelo filme O Pagador de Promessas, de Dias Gomes, a Igreja do Santíssimo Sacramento do Passo fica no Carmo. É lá que sugerimos um pôr-do-sol nada convencional. Abençoado. E você sabia que dá para subir a torre e ver boa parte do Centro Histórico de lá?

No processo de melhorias desta bissecular igreja, também foi aberta ao público a visitação à torre onde ficam os sinos da edificação. De lá, você tem uma ampla vista para o Centro Histórico de Salvador. A vista alcança, entre muitas outras coisas, o Elevador Lacerda, o Largo Terreiro de Jesus, a Fundação Jorge Amado, a Igreja Nossa Senhora Rosários dos Pretos, grande parte da Baixa dos Sapateiros, as Igrejas do Carmo, Boqueirão e Santo Antônio, além de uma visão ampla na Baía de Todos os Santos.

Igreja do Santíssimo Sacramento do Passo

 

Pôr do sol e um sorvetinho de seriguela, que tal?

Orla da Ribeira, Cidade Baixa. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira .

Com uma extensa faixa de areia, a Praia da Penha, na Cidade Baixa, reserva grande surpresa no entardecer. Neste pequeno trecho da praia da Ribeira, em frente à Igreja da Penha, se esconde um dos espetáculos mais lindos da cidade.

A água mansa é abrigo certo para o pouso do sol. Em volta, amendoeiras dão um ar romântico que atrai casais para os banquinhos de madeira estrategicamente posicionados à frente do mar.

Não é um lugar muito explorado pelos turistas, mas é bastante frequentado por quem mora naquela região. Isso o torna ainda mais interessante, porque dá para sentir pulsar a cidade por quem nela vive. Vale a pena, inclusive, passar uma tarde inteira por lá.

A menos de um quilômetro, há sorveterias famosas, como o sorvete da Ribeira e o Museu do Sorvete, além de diversos restaurantes que servem comidas típicas com fartura e bom preço.

Praia da Ribeira

Casa de Iemanjá, Rio Vermelho

Orla do Rio Vermelho. Casa de Iemanjá. Fotos: Fábio Marconi

Um final de tarde que permite uma conexão forte com a religiosidade tão característica de Salvador. Ver o pôr do sol na enseada de Santana, no Rio Vermelho, é assim. Famosa pela Festa de Iemanjá, que acontece todo 02 de fevereiro, e também por seu agito noturno, tudo fica bom e alegre assim que você senta naquela mureta de frente para o mar.

A Casa de Iemanjá, ao lado esquerdo da praia, é uma excelente pedida. Está sempre aberta para que os visitantes possam apreciar o altar em homenagem ao orixá, acender uma vela e fazer uma oração. Há quem prefira desfrutar o cair do sol pisando na areia e se sentar com os pés sendo lavados pelo mar ou ainda quem se aventure a subir nas pedras para observar o dia indo embora nos reflexos bonitos que se formam em pequenas poças de água.

Uma saudade chamada Rio Vermelho

Os clássicos dos clássicos

Ponta de Humaitá

Ponta do Humaitá. Foto: Fábio Marconi

Sabe o clichê que sempre pode ser diferente? É o pôr do sol na Ponta de Humaitá. Seu entardecer tem fama internacional e é, também, cartão postal da cidade. Localizado em uma das extremidades da Península de Itapagipe, tendo ao fundo as ilhas de Itaparica, Frades e Maré, o lugar tem como grande diferencial ser um dos pontos de Salvador que mais adentra a Baía de Todos os Santos.

É lá que está também o único farol que fica dentro da Baía – o Farol de Humaitá. O mar abraça o sol em um espetáculo de cair o queixo. E para apreciar tamanha beleza, vale mais de uma visita. Ou até um tour, pelos arredores, ao longo do entardecer. Atrás do Forte de Humaitá, que fica acima da ponta, é possível sentar-se em banquinhos de concreto moldados justamente para apreciar a vista. É impagável, também, sentar nas pedras que ficam na enseada e adentrar, um pouco mais, no mar da Baía de Todos os Santos. É um dos locais mais famosos e faz jus ao posto.

Uma saudade chamada Bonfim

Elevador Lacerda

Elevador Lacerda. Centro Histórico. Salvador Bahia.

Aqui vale a primeira dica: não queira ver o pôr do sol de dentro do Elevador Lacerda. Ele não é panorâmico. Sim, tem muita gente que ainda pensa que é! Brincadeiras à parte, a vista de cima dele, no entanto, da Praça Municipal, supera qualquer expectativa. É a Salvador que se imagina em qualquer livro de Jorge Amado.

De lá, é possível distinguir o contraste entre a euforia do Pelourinho, e a calmaria trazida pela vista do mar da Baía de Todos os Santos. Lado esquerdo ou direito do monumento. Qualquer sentido vale uma visita pausada, observando cada detalhe das embarcações que dão vida ao mar, a arquitetura do Mercado Modelo, o Forte de São Marcelo, o reflexo do sol se pondo na estrutura espelhada do Elevador. As pessoas que circulam de um lado para o outro dão total charme ao entardecer. É Salvador na sua forma mais poética.

Uma saudade chamada Pelourinho

Porto da Barra

Museu da Fotografia da Bahia visto das águas transparentes do Porto da Barra. Foto: Fábio Marconi

O mar calmo do Porto da Barra é um convite irrecusável para ver, de dentro dele, o sol se pondo. A praia pode estar cheia, como na maioria das vezes, com um sonoro bater de palmas que já é tradição no entardecer. Mas, dentro do mar, é como se tudo e todos se calassem. O dia vai indo embora no contorno dos barcos que ficam por ali ancorados. É o banho de mar que, muitas vezes, precisamos para repor as energias. É salgar a alma em grande estilo.

E se engana quem pensa que, ao anoitecer, a praia perde a magia. Vale esticar um pouco mais o passeio e desfrutar da água morna e transparente que, mesmo à noite, permite se enxergar até os pés.
Outra dica é assistir às projeções feitas nas fachadas dos Fortes localizados nas duas extremidades desta enseada, que acontecem logo depois do pôr do sol. No São Diogo, são projetadas as obras coloridas do artista Carybé, uma extensão do que é apresentado no Espaço Carybé, dentro desta edificação. Já no Santa Maria, é exibido um apanhado de imagens produzidas por grandes nomes da fotografia baiana, fotógrafos que fazem parte das exposições permanentes do Espaço Pierre Verger de Fotografia baiana, que fica ali dentro.

Uma saudade chamada Porto da Barra

Banho de mar ou boa música… ou os dois

JAMnoMAM Foto: Lilia Rizerio / Divulgação

O entardecer no pátio do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), no Solar do unhão, é um clássico de Salvador. Cercado pelo mar, o MAM fica entre duas praias: a praia “das pedrinhas”, descendo a Comunidade do Solar do Unhão, e a prainha do MAM (dentro do Parque das Esculturas do museu). Um lugar está ao lado do outro, mas cada um tem seu encanto.

O pátio do Solar do Unhão é calmaria durante a semana. Tem aulas de Yoga pela manhã e você vai poder assistir a um pôr-do-sol lindo, respirando cultura, embalado pelo som das ondas do mar batendo na mureta de concreto onde estará sentado. Aos sábados, o silêncio dá espaço para o agito do JAM no MAM. Há anos, neste dia, a noite vai ganhando vida ao som de jazz, sendo compartilhada por centenas de pessoas.

Mas quem não abre mão de estar com os pés na água, pode descer as escadarias de cima do museu, lado direito, e ir para a Prainha do MAM. Com uma pequena faixa de areia, a enseada tem água cristalina e um pôr do sol que doura o mar calmo. Do lado esquerdo, a prainha do Solar do Unhão é todo de pedrarias. Para acessá-la, é preciso adentrar um pouco a comunidade da Gamboa de Baixo e descer uma escadaria.

Praia do MAM. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Na segunda-feira, quando o museu está fechado, o mirante da entrada do espaço ganha o protagonismo para quem vai ver o entardecer por lá. De cima, dá para ver o sol se pondo emoldurado por um portal de ferro assinado pelo artista plástico Carybé, feito pouco antes de sua morte.

Conheça 7 experiências no Centro de Salvador

Por Paula Outerelo
Jornalista

Sobre nossa colaboradora: Paula Outerelo é baiana, jornalista e apaixonada por Salvador. Ama a luz e o mar e gosta de passar o fim da tarde assistindo o sol mergulhar nas praias da cidade. É daquelas pessoas que manda flores para Yemanjá, amarra fitinhas na Igreja do Bonfim e, quando não está trabalhando, pode ser facilmente encontrada nas festas de Largo soteropolitanas.
Paula Outerelo é baiana, jornalista e apaixonada por Salvador. Ama a luz e o mar e gosta de passar o fim da tarde assistindo o sol mergulhar nas praias de Salvador. É daquelas pessoas que mandam flores para Yemanjá, amarram fitinhas na Igreja do Bonfim e, quando não está trabalhando, pode ser facilmente encontrada nas festas de Largo da cidade.


Pôr do sol na Praça Castro Alves. Salvador Bahia.

1
2
3
4
5
6
6
Duração aproximada
1 horas - 2 horas
Seu bolso

Outros Roteiros

Agenda

15
ago
16
ago
17
ago
18
ago
19
ago
20
ago
21
ago
22
ago
#FICAEMCASA – Salvador Solidária #ficaemcasa – Podcast Festa Sollares #FICAEMCASA – População pode contribuir com ações sociais #ficaemcasa – Tour virtual no Museu da Misericórdia #ficaemcasa – Contação de histórias infantis #ficaemcasa – App reverte like em renda para pessoas periféricas #ficaemcasa – Curso básico de desenho pela internet #FICAEMCASA – Receitas do M’ar Gastronomia pelo Instagram #FICAEMCASA: Histórias ao vivo para crianças #FICAEMCASA – Tour Virtual do Museu Geológico da Bahia #FICAEMCASA – Tour Virtual do MAM #FICAEMCASA – Tour Virtual do Teatro São João da Bahia #FICAEMCASA – Tour em 360° pelas ruas de Salvador Tour em 360° pela Igreja de São Francisco #FICAEMCASA  – O PAPO VAI SER BOM! com Henrique Bahia #FICAEMCASA – Tour em 360° pelos principais pontos de Salvador Drive In Salvador Cine Drive In Bahia Documentário inédito sobre Santa Dulce dos Pobres A-HA – Turnê Hunting High And Low em Salvador Mostra virtual da Casa do Benin Show de Jau Musical de Marcelo Serrado Show de Vitão Stand-up de Leandro Hassum Fragmentos de um Teatro Decomposto Show da banda Guig Ghetto Espetáculo ‘E Foram, Quase Felizes para Sempre’, de Heloisa Pérrise Show de Patati Patatá Festival gastronômico vegano  Ju Moraes ao vivo Rio Vermelho S/A Museu da Imprensa Filme ‘Axé Canto do Povo de Um Lugar’ estreia na Netflix
Ver mais em Agenda