10 dicas para aproveitar o Carnaval 2019

Salvar nos favoritos
Saulo no Circuito Barra-Ondina. Foto: Assessoria

Um diário de bordo da folia de Salvador de cultura, de tradição, arte e festa, muita festa!

Folia na Bahia é outra coisa… Misture-se.

Esse é praticamente um diário de bordo da folia de Salvador. Contém informações valiosas, dicas “pra vida” que vão te fazer querer voltar todos os anos, em várias épocas. Vamos te provar que aqui é, de fato, carnaval o ano inteiro. Confira agora toda a programação para o Carnaval 2019 em Salvador.

1 – Ensaios de Verão

A Melhor Segunda Feira do Mundo. Salvador Bahia. Foto Sercio Freitas.

São nestes ensaios que o carnaval começa a ser “desenhado”. É ali que você já conhece as músicas que vão bombar no carnaval. Momento também de experimentar novos ritmos e do público que nunca curtiu um carnaval poder ir se adaptando aos dias intensos que estão por vir. No Pelourinho rolam “Terça da Benção, do Olodum”; Gerônimo; Ensaios do Cortejo Afro e sambas espalhados pelo Centro Histórico. Fiquem ligados nas agendas oficiais do Malê Debalê que realiza ensaios e o Concurso do Negro e Negra Malê. O Ilê Aiyê, além dos ensaios, tem o Festival de Música Negra e Noite da Beleza Negra que são experiências ímpares de expressão cultural. Tem que ir.

Imperdíveis também são os shows promovidos por artistas como Saulo, Margareth Menezes e a sensação do momento, a banda Àttooxxá. Ainda não faltam festas como A Melhor Segunda-feira do Mundo, Baile da Santinha e Bailinho de Quinta, que, com diferentes tipos de público e estilo musical, tomaram de assalto os corações dos soteropolitanos e visitantes. Saiba mais sobre em Ensaios de Verão.

2 – Festa para Iemanjá

A festa para Iemanjá no Rio Vermelho. Cada ano mais bonita!Não que seja carnaval, longe disso. Mas as festas populares de Salvador são como um marco zero, é quando o povo vai pra rua expressar sua fé e sua alegria. Aqui na Bahia, fé e festa estão ligados sim, assim como boa comida e boa música. A dica aqui é a Festa de Iemanjá porque está mais coladinha ao carnaval. A celebração é no dia 02 de fevereiro, mas a dica é chegar um dia antes. A festa começa ainda na noite do dia 01, com shows na rua, e é na alvorada que os “pagadores de promessa” e religiosos chegam com grandes balaios na cabeça para deixar suas oferendas na Casa de Iemanjá no Rio Vermelho.

No dia 01, pela manhã, acontece a Lavagem de Itapuã. No dia dois, as duas celebrações mais conhecidas são: a do Rio Vermelho e a do Dique do Tororó. A do Rio Vermelho é a maior. É de lá que saem as oferendas para a Rainha o mar. Por volta das 16h saem os barcos lotados de flores. Você tem 3 opções: 1 – chegar o mais próximo da orla para ver essa saída; 2 – estar em algum prédio e lá de cima ver o espetáculo que se forma naquela enseada; 3 – se “enfiar” em um dos barcos e ver de perto a entrega das oferendas. Saiba tudo em Festas Populares e Ensaios de verão.

3 – FUZUÊ e Furdunço: uma folia linda e com gostinho dos velhos tempos!

Furdunço 2017 – Foto: arquivo da Prefeitura

Quem disse que só de trio elétrico é feito o Carnaval de Salvador? Para os mais desavisados, as fanfarras e bandinhas de sopro, ou “chupa catarro” voltaram a ganhar muito espaço na folia baiana, especialmente no pré-Carnaval. Nos dias antes do carnaval oficial, o agito está em Ondina, no Circuito Orlando tapajós (Ondina – Barra).

No dia 23 de fevereiro de 2019 é dia de Fuzuê!!! O primeiro dia de pré-carnaval tem um gostinho de carnaval das antigas, com bandas e grupos folclóricos que desfilam as tradições do recôncavo baiano, com os bonecões do Mamulengo da Bahia e as “terríveis” máscaras das Caretas do Acupe, homens vestidos com assustadoras máscaras de papel machê.

Aí você até pode pensar que vai descansar… mas não! Logo depois vem o Furdunço, no dia seguinte!!! Se entregue aos primórdios dos trios elétricos, quando os minitrios, caminhonetes e artistas desfilam o mais próximo possível do folião. Você pode ver os clássicos fobica de Armandinho, Dodô e Osmar, o pranchão do Alavontê, o Navio Pirata.

4 – Pipoco

Normalmente, na segunda-feira, o carnaval te dá uma trégua…. mas só esse dia mesmo porque você já volta para a rua para o Pipoco no dia 26 de fevereiro! Também no Circuito Orlando tapajós, é quando o primeiro trio elétrico, dos grandes, entra na avenida sob o comando de grandes artistas que vão de Ondina à Barra, arrepiando.

Na Barra, em frente ao farol, sempre tem um grande acontecimento. Para você ter noção, foi lá que em cima de uma torre, o DJ Alok já comandou uma festa eletrônica. O mais louco é que, no dia seguinte, a Barra normalmente é invadida por blocos acompanhados por bandas de sopro. Gravata Doida, Habeas Copus, Xupisco, Barca Tricolor! Inexplicável, né!?!? Tem de tudo na Bahia.

5 – Os Blocos Afros

Ilê Aiyê. Noite da Beleza Negra. Jéssica dos Santos. Foto: André Frutuôso

Tem que ir na Saída do Ilê – onde se reúnem milhares de admiradores do bloco no bairro da Liberdade. Um dos mais antigos e famosos blocos afro do Brasil sai da Senzala do Barro Preto e percorre as principais ruas do Curuzu. De lá, o bloco segue para o Campo Grande. Outro que faz uma “saída” bem simbólica é o Olodum, que antes de se dirigir para o Campo Grande, percorre as ruas do Pelourinho fazendo uma “chamada” aos foliões.

Anote no bloquinho, na parte “imperdível”, os Blocos Afro. Eles são o ponto-chave do Carnaval de Salvador. Vir a Salvador e não assistir ao Ilê, aos agogôs dos Filhos de Gandhy, à irreverência do Cortejo Afro e à tradição do Olodum é a mesma coisa que não ter vindo. É por eles que nosso carnaval conta sua história, são eles que inventaram isso tudo, toda essa alegria. Procure saber mais sobre a Timbalada, o Malê Debalê, Didá, Os Negões, Muzenza. É de arrepiar.

6 – O Carnaval no Centro Histórico

Praça Municipal. Salvador, Bahia. Foto: arquivo da Prefeitura.

No outro extremo da cidade, no Centro Histórico, bloquinhos invadem as ladeiras do Pelourinho em direção ao Carmo. É hora de colocar a fantasia e “sujar” as ruas de confete, serpentina e purpurina! O circuito Batatinha (Pelourinho), é um circuito mais alternativo do Carnaval de Salvador. Não há trios elétricos e os foliões curtem ao som de fanfarras, marchinhas e blocos pequenos. É no Centro Histórico também que acontece o “Desfile de Fantasias na Praça Municipal” e onde tem o Palco Multicultural. São shows, blocos, bloquinhos e também orquestras e samba, muuuiiito samba. Vá curtir a rua.

7 – Os circuitos – Blocos, cordas e Pipocas

O circuito Dodô (Barra/Ondina). Foto: arquivo da Prefeitura

Pegar o abadá, customizar, procurar seu trio… sentir o coração sair pela boca ainda nos primeiros acordes da música, sentir o corpo arrepiar ao passar pelo Farol da Barra ao som das músicas dos maiores artistas do Brasil. Todo esse ritual faz parte de quem sai em um bloco durante o Carnaval de Salvador. Aí você decide: com corda ou sem corda? Na pipoca, o melhor de tudo é poder ir em todos os blocos que der na “telha”, indo de um para o outro sem parar.

O circuito Osmar (Campo Grande) é o mais tradicional, tem cerca de 4km de percurso e é um pouco estreito. Por lá passam os trios elétricos de grandes artistas, com e sem cordas. O Furdunço que a gente explicou lá na dica n°3, também tem um dia todo acontecendo no Campo Grande.

O circuito Dodô (Barra/Ondina), é um dos mais famosos e turísticos. Esse circuito tem, aproximadamente, 4,5km e os trios elétricos começam a tocar perto do Farol da Barra. Esse percurso é mais largo e lá ficam concentrados os camarotes mais famosos.

8 – Camarotes

A Festa dentro da Festa. Essa é a melhor descrição para os camarotes. Com toda a estrutura que os camarotes do circuito Dodô Barra-Ondina têm, dá para passar horas lá dentro e ainda assim você não vai fazer tudo. São pelo menos nove opções de camarotes que oferecem sistema open bar (bebida inclusa) e tem alguns outros que possuem sistema all inclusive (bebida e comida inclusas).

Os camarotes tops contam com mega estruturas de restaurantes bem servidos, bares com as melhores bebidas, local de customização de abadás, além de áreas climatizadas. Alguns têm até massagista e salão de beleza. E, claro, uma boate e shows com bandas muito boas lá dentro. Assim você tem os trios elétricos ali pertinho e, lá dentro, os maiores DJs do mundo passam para dar uma “oi” aos seus ouvidos.

9 – Carnaval para Crianças

Baile Infantil no Parque da Cidade.

De bailinhos abertos e gratuitos, blocos e até camarotes infantis, Salvador tem programação para foliões de todas as idades. Já rolou o camarote Expressinho 2222, que em 2018 fez sua primeira edição. Carla Perez faz a Pipoca Algodão Doce no Campo Grande – um bloco para toda a família. Especial Folia Infantil neste link.

Tem bailinhos fixos em vários pontos da cidade como Campo grande, Pelourinho, Graça, Santo Antônio Além do Carmo, Mirantes de Periperi, São Tomé de Paripe na Praça da Orla, Cajazeiras X e Nazaré com Banda Fanfarra, atividades lúdicas, recreativas e esportivas, cama elástica, oficina de pintura e mais.

10 – Dicas de Segurança

Trate de trocar suas joias por purpurina e bolsas e mochilas por “porta dolár” ou pochetes de preferência por dentro da roupa. Guarde documentos, celulares e dinheiro. Evitem entrar em ruas que não sejam as principais. Nos circuitos há sinalização em placas com números e letras bem visíveis. Caso se perca, mande mensagem para os amigos dizendo de qual dessas placas você está perto, assim facilita a vida de todos.

Preparamos uma lista com músicas perfeitas para esta experiência. Ouça agora!


Saulo no Circuito Barra-Ondina. Foto: Assessoria

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
12
Duração aproximada
Todos os dias de Carnaval
Seu bolso

Outros Roteiros

Agenda

07
jul
08
jul
09
jul
10
jul
11
jul
13
jul
14
jul
Ver mais em Agenda