Casa do Benin

Salvar nos favoritos

Espaço de valorização das relações culturais afro-brasileiras

Casa do Benin. Foto: Fábio Marconi.

Você conhece a Casa do Benin? Inaugurado em 1988, o espaço fica em um casarão na Rua Padre Agostinho Gomes, perto do Taboão, lá no Pelourinho. No coração do Centro Histórico, a Casa do Benin representa um pedaço da África, onde o intercâmbio de culturas de lá pra cá e daqui pra lá se cria. O Espaço Cultural possui importante acervo artístico e cultural afro-brasileiro e é mantido pela Fundação Gregório de Mattos para valorização das relações culturais afro-brasileiras.

A Casa tem um acervo composto por cerca de 200 peças originárias do Golfo do Benin, colecionadas pelo fotógrafo francês Pierre Verger ao longo de suas viagens realizadas à África, para estudar os fluxos e refluxos entre África e Bahia. Também possui peças relacionadas à cultura afrodiaspórica, doadas por artistas e instituições. Outro fato interessante é que tecidos coloridos estão pendurados dando ainda mais vida ao local. Estes são da artista plástica e designer Goya Lopes, uma das pioneiras a trabalhar de maneira criativa com a moda afro-brasileira.

A reforma tem o projeto da arquiteta modernista ítalo-brasileira Lina Bo Bardi. No casarão se encontra o Espaço Museu Pierre Verger, onde estão expostas as peças do acervo permanente com obras beninenses; a Sala de Exposição Lina Bo Bardi, que recebe mostras temporárias; e o Auditório Gilberto Gil, local de realização de eventos e oficinas de pequeno porte voltados para a comunidade.

No pátio, existe o Espaço Gourmet Jeje Nagô, com arquitetura inspirada no estilo de restaurantes antigos das comunidades rurais beninenses. A “Tatassomba” é uma réplica de edificações existentes no Benin, desenvolvida pela arquiteta Lina Bo Bardi, feita de barro e com teto de palha. Também há uma outra edificação, toda em cimento queimado – uma das assinaturas da arquiteta. Ali, existe uma sala multifuncional, além de um terraço de onde é possível ver os casarões seculares do Centro Histórico com um outro olhar.

Além disso, a Casa do Benin realiza, promove, divulga e apoia, através das exposições, os artistas baianos que têm como inspiração a arte de matriz africana. Desse modo, o museu contribui de maneira significativa com o reconhecimento e valorização dessa arte, além de incentivar os artistas que nela investem e se inspiram. Já foram realizadas diversas atividades socioculturais e educativas, como palestras, encontros, cursos, oficinas e visitas guiadas, no sentido de valorizar e divulgar o conhecimento da cultura afro-brasileira, além de nos aproximar de maneira efetiva das comunidades que cercam o Museu.

Se você estiver fazendo um tour pelo Centro Histórico, a boa é ir primeiro à Igreja Nossa Senhora Rosário dos Pretos e, de lá, seguir para a Casa do Benin. Fica pertinho uma da outra.

Serviço:

Casa do Benin
Baixa dos Sapateiros, 7 – Pelourinho, Salvador-BA, 40025-005
Horário de funcionamento: terça a sábado, das 9h às 17h.
A entrada é gratuita
Telefone: (71) 3202-7890

Casa do Benin. Acervo Permanente. Foto: Bruno Concha/ Assessoria.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
10
Seu bolso
Localização
Baixa dos Sapateiros, 7 - Pelourinho, Salvador - BA, 40025-005

Outras experiências

Ver Agenda completa
02dez
03dez
04dez
05dez
06dez
07dez
08dez
09dez

Nosso blog

Blog
Natal Salvador 2022. Praça do Campo Grande. Lucas Moura Secom.

Natal Salvador 2022. Praça do Campo Grande. Lucas Moura Secom.

Farol da Barra. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Farol da Barra. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Velho Espanha, um bar metalinguístico: Localizado no Centro, falando do Centro. Fotos: Amanda Nascto /Assessoria.

Velho Espanha, um bar metalinguístico: Localizado no Centro, falando do Centro. Fotos: Amanda Nascto /Assessoria.

Centro de Convenções de Salvador. Bahia. Foto divulgação.

Centro de Convenções de Salvador. Bahia. Foto divulgação.