10 Museus Fantásticos no Pelourinho

Salvar nos favoritos
Muncab - Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira. Foto: Amanda Oliveira.

Coleções riquíssimas, histórias contadas em objetos e imagens, tudo no Pelourinho

Este famoso conjunto arquitetônico colonial barroco brasileiro tem tantas surpresas dentro de seus casarões coloridos, que seriam necessários dias e dias de visita para conhecer tudo. Aqui, vamos te mostrar em 10 museus, coleções riquíssimas, histórias contadas em objetos e imagens, tudo dentro do nosso tão querido Pelourinho. Venha com a gente andar por este Patrimônio Histórico, numa espécie de “aula-tour” super cool.

Preparamos uma lista com músicas perfeitas para esta experiência. Ouça agora!

Um dos mais belos Museus de Salvador

Museu da Misericórdia. No Salão Nobre, a cadeira feita exclusivamente para a visita de D. Pedro II, em 1859. Foto: Fábio Marconi.

O imponente palacete do século XVII, situado entre a Praça Municipal e a Praça da Cruz Caída, guarda parte expressiva da História da Bahia e do Brasil. Em cada um dos corredores e salões do Museu da Misericórdia, há algo que reconte eventos de saúde, políticos e sociais da cidade de Salvador. O local já abrigou o Hospital da Caridade, primeira unidade de saúde do estado, cuja história começa no mesmo ano em que nasceu a capital baiana, em 1549.

O acervo, composto por mais de 3 mil peças catalogadas, destaque para o primeiro carro movido a gasolina da Bahia e o mais antigo em exposição no Brasil. O estado de conservação do espaço impressiona, a beleza das peças, a vasta coleção e a qualidade da visita guiada são incríveis. Os monitores são ótimos, as histórias contadas fazem cada sala ter vida própria!

Serviço:
Museu da Misericórdia – Endereço: Rua da Misericórdia, 6, Praça da Sé.
Horário de funcionamento: de Segunda a Sexta-feira, das 8h30 às 17h30. Sábados, das 9h às 17h. Feriados, das 9h às 13h.
Os ingressos custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).
As visitas de grupos escolares precisam ser agendadas.
Telefone: 71 2203-9830/9832.

A cultura brasileira e sua afro descendência

Muncab – Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira. Foto: Amanda Oliveira.

O Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira (MUNCAB) é um museu com ênfase na valorização de aspectos da cultura de matriz africana, destacando a sua influência sobre a cultura brasileira. Lá você tem contato com trabalhos que falam da identidade negra; da resistência negra, dos quilombos e revoltas, além de aprender sobre as contribuições na culinária, religiosidade e festas populares, assim como nos esportes e na música, que é uma exuberância de matrizes com o samba, semba, maracatu e outros.

Logo na entrada, o gradil merece destaque. Inaugurado em 2014, o “Gradil Histórias de Ogum” foi criado pelo Artista Plástico J. Cunha e fabricado por Jorge Lima Artefatos de Metal. A peça representa um marco histórico para a cultura afro-brasileira, um monumento que representa a história do seu povo. A obra retrata os principais momentos e contribuições dos escravos africanos e seus descendentes libertos na construção da civilização brasileira – a diversidade cultural mais rica do planeta.

Serviço
Muncab – Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira
Endereço: Rua do Tesouro, 61 -127, Centro, Salvador
Telefone: (71) 3022-6722

A história das Baianas de Acarajé

Museu das Baianas. Pelourinho, Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

O Memorial das Baianas de Acarajé é um espaço dedicado à história e à tradição do ofício das baianas de acarajé. O local, registrado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Ministério da Cultura (Iphan/MinC) como Patrimônio Cultural do Brasil, conta com espaços expositivos e de documentação.

O visitante encontra, por exemplo, adereços, artesanatos e alguns instrumentos gastronômicos utilizados por elas, uma maneira de salvaguardar o oficio, com a ideia de mostrar para a população e para os visitantes como é, como começou e até onde está indo a questão da profissão da baiana de acarajé, com fotos, objetos, indumentária e vídeos.

Serviço
Memorial das Baianas de Acarajé
Endereço: Cruz Caída, Praça da Sé – Pelourinho, Salvador – BA, 40301-155
Funcionamento: de Segunda a Sábado, das 10h às 16h.
Telefone: (71) 3322-9674 Telefone: (71) 3283-5540

Azulejaria e Cerâmica de vinda de boa parte do globo

Museu Udo Knoff. Foto: Fábio Marconi.

O Museu UdoKnoff de Azulejaria e Cerâmica é o resultado da coleção particular do ceramista UdoKnoff, natural da Alemanha, radicado na cidade do Salvador, Bahia, desde o ano de 1952. Contém peças de autoria do ceramista, além de azulejos dos séculos XVII ao XX de origem portuguesa, inglesa, francesa, holandesa, mexicana e belga, telhas vitrificadas, pratos, jarros e reproduções de azulejos antigos. O acervo do museu foi recolhido em grande parte de casas em processo de demolição no estado da Bahia.

Serviço:
Museu UdoKnoff
Rua Frei Vicente, 3 – Pelourinho.
Horário de funcionamento: de Terça a Domingo, das 13h às 17h.
Telefone: (71) 3117-6389

Pelourinho e suas “lindezas”!

Solar do Ferrão. Pelourinho. Foto: Fábio Marconi.

Esse é um daqueles esconderijos do Pelourinho que você passa sempre em frente e nem imagina as coisas lindas que vai encontrar lá dentro. Não é bem um “Museu”, mas sim um Centro Cultural. O Solar Ferrão é um espaço dinâmico de arte, cultura e memória, instalado em um dos mais importantes monumentos da poligonal do Centro Histórico de Salvador. Possui seis andares e abriga a Galeria Solar Ferrão, o Museu Abelardo Rodrigues e quatro coleções: a de Arte Africana, a de Arte Popular, a Coleção Walter Smetak e a Coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi. Coisa fina da Bahia, vá!

Serviço
Solar Ferrão
Rua Gregório de Mattos, 45 – Pelourinho, Salvador-BA.
Horário de funcionamento: de Terça a Sexta, das 12h às 18h. Sábados, Domingos e feriados, das 12h às 17h.
Telefone: (71) 3116-6743

Postais, fotografias e estampas em um dos acervos mais completos do país

Museu Tempostal. Foto: Fábio Marconi.

Quer coisa mais vintage que postais, minha gente?! No Museu Tempostal destacam-se as coleções de imagens representativas da Bahia Antiga, os cartões-postais da Belle Époque, que chamam a atenção pela variedade dos materiais nos quais foram confeccionados, e as estampas do Sabonete Eucalol.

O acervo do Museu Tempostal é formado por cerca de 50.000 peças. Constituem postais, fotografias e estampas, do final do século XIX e meados do século XX, sendo um dos acervos mais completos do país. Representam imagens de valor histórico, artístico e documental, não só da Bahia e do Brasil, mas também de diversos países do mundo, sobre as mais variadas temáticas.

Serviço:
Museu Tempostal
Rua Gregório de Matos, 33 – Pelourinho.
Horário de funcionamento: de Terça a Sexta, das 12h às 18h. Finais de semana e feriados, das 12h às 17h

Pierre Verger & Lina Bo Bardi & África & Goya Lopes

Casa do Benin. Foto: Fábio Marconi.

Você conhece a Casa do Benin? Vá e entenda o que Pierre Verger, Lina Bo Bardi, África e Goya Lopes têm em comum. Inaugurado em 1988, o espaço fica em um casarão na Rua Padre Agostinho Gomes, perto do Taboão, lá no Pelourinho.

A Casa tem, entre outras coisas, um acervo composto por cerca de 200 peças originárias do Golfo do Benin, colecionadas pelo fotógrafo, etnólogo e antropólogo francês Pierre Verger ao longo de suas expedições realizadas à África.

Os lindos panos estampados com motivos africanos, são de autoria da artista Goya Lopes. Para completar, esta é mais uma obra com arquitetura de Lina Bo Bardi, arquiteta modernista ítalo-brasileira, conhecida por ter projetado o Museu de Arte de São Paulo (MASP). Lindo de morrer.

Serviço
Casa do Benin
Baixa dos Sapateiros, 7 – Pelourinho, Salvador-BA, 40025-005
Horário de funcionamento: de Segunda a Sexta-feira, das 9h às 17h.
A entrada custa R$ 4.
Telefone: (71) 3202-7890

Ancestralidade na veia

MAFRO – Museu Afro-Brasileiro da UFBA. Foto: Fábio Marconi

O Museu Afro-Brasileiro da Universidade Federal da Bahia é um dos poucos no país a tratar exclusivamente das culturas africanas e a sua presença na formação da cultura brasileira. O museu, que foi primeiro organizado por Pierre Verger, está instalado no edifício da primeira escola de Medicina do Brasil, que hoje é propriedade da Universidade Federal da Bahia.

Há também objetos de origem brasileira, relacionados com a religião afro-brasileira da Bahia, incluindo um conjunto de talhas em cedro de autoria de Carybé, 27 painéis representando os orixás do candomblé da Bahia.

Serviço
MAFRO – Museu Afro-Brasileiro
Largo Terreiro de Jesus, Pelourinho.
Horário de funcionamento: de Segunda a Sexta, das 9h às 17h.

We are Carnaval! We are folia!

Casa do Carnaval – coleções. Foto: Fábio Marconi

Um museu permanente que conta a história da folia baiana. Essa é a ideia da Casa do Carnaval, que em quatro pavimentos convidao visitantea fazer uma viagem visual e sensorial, com diversos recortes temáticos da festa, relembrando transformações sociais e da formação da identidade baiana.

Este museu da folia possui maquetes, roupas e instrumentos emprestados por artistas da festa, fotos e documentos históricos e dois cinemas. Várias projeções em vídeo também fazem parte do acervo (cada visitante faz sua “viagem” pela casa de forma particular, com o uso de fones de ouvido). Imperdível!

Serviço:
Casa do Carnaval
Praça Ramos de Queirós, s/n – Pelourinho, Salvador – BA, 40026-055
Aberto de Terça a Domingo, das 11 às 19h.
A visitação será espontânea, com cobrança de ingresso no valor de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Os sabores da Bahia

Museu da Gastronomia. Pelourinho, Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Uma das culinárias mais ricas do mundo, a comida baiana tem Status de ponto turístico entre os visitantes. O acarajé, abará, o coentro, o molho “lambão”, são tão famosos – e “visitados” – quanto a Igreja do Senhor do Bonfim ou o Farol da Barra. Nossa dica aqui é conhecer a história disso tudo. O Museu da Gastronomia Baiana, iniciativa do Senac-Bahia, busca valorizar os diferentes sistemas alimentares da Bahia nos contextos históricos, culturais, sociais e gastronômicos.

Tem como missão informar, valorizar e divulgar a comida da Bahia nos seus mais variados contextos, com foco no olhar patrimonial agregado ao olhar gastronômico. No Restaurante-museu-escola o visitante pode comer um rico e variado cardápio de pratos salgados e doces que atestam as cozinhas que vão do Recôncavo até o Sertão. Para ficar ainda mais legal, ele fica em pleno Pelourinho, fazendo desta experiência uma imersão em si.

Serviço
Museu da Gastronomia Baiana
Localização: Praça José de Alencar, 13/19 – Largo do Pelourinho, Salvador – BA
Funcionamento: de Segunda a Sexta, das 09h às 17h30. Sábados, das 09h às 15h.
Tel.: +55 71 3324.8118
Site: http://www.ba.senac.br/museu
E-mail: museu.gastronomia@ba.senac.br


Museu da Misericórdia. No Salão Nobre, a cadeira feita exclusivamente para a visita de D. Pedro II, em 1859. Foto: Fábio Marconi.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60
61
62
63
64
65
66
67
68
68

Outros Roteiros

Agenda

07
jul
08
jul
09
jul
10
jul
11
jul
13
jul
14
jul
Ver mais em Agenda