10 Museus Fantásticos no Pelourinho

Salvar nos favoritos
Muncab - Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira. Foto: Amanda Oliveira.

Coleções riquíssimas, histórias contadas em objetos e imagens, tudo no Pelourinho

Este famoso conjunto arquitetônico colonial barroco brasileiro tem tantas surpresas dentro de seus casarões coloridos, que seriam necessários dias e dias de visita para conhecer tudo. Aqui, vamos te mostrar em 10 museus, coleções riquíssimas, histórias contadas em objetos e imagens, tudo dentro do nosso tão querido Pelourinho. Venha com a gente andar por este Patrimônio Histórico, numa espécie de “aula-tour” super cool.

Preparamos uma lista com músicas perfeitas para esta experiência. Ouça agora!

Um dos mais belos Museus de Salvador

Museu da Misericórdia. No Salão Nobre, a cadeira feita exclusivamente para a visita de D. Pedro II, em 1859. Foto: Fábio Marconi.

O imponente palacete do século XVII, situado entre a Praça Municipal e a Praça da Cruz Caída, guarda parte expressiva da História da Bahia e do Brasil. Em cada um dos corredores e salões do Museu da Misericórdia, há algo que reconte eventos de saúde, políticos e sociais da cidade de Salvador. O local já abrigou o Hospital da Caridade, primeira unidade de saúde do estado, cuja história começa no mesmo ano em que nasceu a capital baiana, em 1549.

O acervo, composto por mais de 3 mil peças catalogadas, destaque para o primeiro carro movido a gasolina da Bahia e o mais antigo em exposição no Brasil. O estado de conservação do espaço impressiona, a beleza das peças, a vasta coleção e a qualidade da visita guiada são incríveis. Os monitores são ótimos, as histórias contadas fazem cada sala ter vida própria!

Serviço:
Museu da Misericórdia – Endereço: Rua da Misericórdia, 6, Praça da Sé.
Horário de funcionamento: de Segunda a Sexta-feira, das 8h30 às 17h30. Sábados, das 9h às 17h. Feriados, das 9h às 13h.
Os ingressos custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).
As visitas de grupos escolares precisam ser agendadas.
Telefone: 71 2203-9830/9832.

A cultura brasileira e sua afro descendência

Muncab – Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira. Foto: Amanda Oliveira.

O Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira (MUNCAB) é um museu com ênfase na valorização de aspectos da cultura de matriz africana, destacando a sua influência sobre a cultura brasileira. Lá você tem contato com trabalhos que falam da identidade negra; da resistência negra, dos quilombos e revoltas, além de aprender sobre as contribuições na culinária, religiosidade e festas populares, assim como nos esportes e na música, que é uma exuberância de matrizes com o samba, semba, maracatu e outros.

Logo na entrada, o gradil merece destaque. Inaugurado em 2014, o “Gradil Histórias de Ogum” foi criado pelo Artista Plástico J. Cunha e fabricado por Jorge Lima Artefatos de Metal. A peça representa um marco histórico para a cultura afro-brasileira, um monumento que representa a história do seu povo. A obra retrata os principais momentos e contribuições dos escravos africanos e seus descendentes libertos na construção da civilização brasileira – a diversidade cultural mais rica do planeta.

Serviço
Muncab – Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira
Endereço: Rua do Tesouro, 61 -127, Centro, Salvador
Telefone: (71) 3022-6722

A história das Baianas de Acarajé

Museu das Baianas. Pelourinho, Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

O Memorial das Baianas de Acarajé é um espaço dedicado à história e à tradição do ofício das baianas de acarajé. O local, registrado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Ministério da Cultura (Iphan/MinC) como Patrimônio Cultural do Brasil, conta com espaços expositivos e de documentação.

O visitante encontra, por exemplo, adereços, artesanatos e alguns instrumentos gastronômicos utilizados por elas, uma maneira de salvaguardar o oficio, com a ideia de mostrar para a população e para os visitantes como é, como começou e até onde está indo a questão da profissão da baiana de acarajé, com fotos, objetos, indumentária e vídeos.

Serviço
Memorial das Baianas de Acarajé
Endereço: Cruz Caída, Praça da Sé – Pelourinho, Salvador – BA, 40301-155
Funcionamento: de Segunda a Sábado, das 10h às 16h.
Telefone: (71) 3322-9674 Telefone: (71) 3283-5540

Azulejaria e Cerâmica de vinda de boa parte do globo

Museu Udo Knoff. Foto: Fábio Marconi.

O Museu UdoKnoff de Azulejaria e Cerâmica é o resultado da coleção particular do ceramista UdoKnoff, natural da Alemanha, radicado na cidade do Salvador, Bahia, desde o ano de 1952. Contém peças de autoria do ceramista, além de azulejos dos séculos XVII ao XX de origem portuguesa, inglesa, francesa, holandesa, mexicana e belga, telhas vitrificadas, pratos, jarros e reproduções de azulejos antigos. O acervo do museu foi recolhido em grande parte de casas em processo de demolição no estado da Bahia.

Serviço:
Museu UdoKnoff
Rua Frei Vicente, 3 – Pelourinho.
Horário de funcionamento: de Terça a Domingo, das 13h às 17h.
Telefone: (71) 3117-6389

Pelourinho e suas “lindezas”!

Solar do Ferrão. Pelourinho. Foto: Fábio Marconi.

Esse é um daqueles esconderijos do Pelourinho que você passa sempre em frente e nem imagina as coisas lindas que vai encontrar lá dentro. Não é bem um “Museu”, mas sim um Centro Cultural. O Solar Ferrão é um espaço dinâmico de arte, cultura e memória, instalado em um dos mais importantes monumentos da poligonal do Centro Histórico de Salvador. Possui seis andares e abriga a Galeria Solar Ferrão, o Museu Abelardo Rodrigues e quatro coleções: a de Arte Africana, a de Arte Popular, a Coleção Walter Smetak e a Coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi. Coisa fina da Bahia, vá!

Serviço
Solar Ferrão
Rua Gregório de Mattos, 45 – Pelourinho, Salvador-BA.
Horário de funcionamento: de Terça a Sexta, das 12h às 18h. Sábados, Domingos e feriados, das 12h às 17h.
Telefone: (71) 3116-6743

Postais, fotografias e estampas em um dos acervos mais completos do país

Museu Tempostal. Foto: Fábio Marconi.

Quer coisa mais vintage que postais, minha gente?! No Museu Tempostal destacam-se as coleções de imagens representativas da Bahia Antiga, os cartões-postais da Belle Époque, que chamam a atenção pela variedade dos materiais nos quais foram confeccionados, e as estampas do Sabonete Eucalol.

O acervo do Museu Tempostal é formado por cerca de 50.000 peças. Constituem postais, fotografias e estampas, do final do século XIX e meados do século XX, sendo um dos acervos mais completos do país. Representam imagens de valor histórico, artístico e documental, não só da Bahia e do Brasil, mas também de diversos países do mundo, sobre as mais variadas temáticas.

Serviço:
Museu Tempostal
Rua Gregório de Matos, 33 – Pelourinho.
Horário de funcionamento: de Terça a Sexta, das 12h às 18h. Finais de semana e feriados, das 12h às 17h

Pierre Verger & Lina Bo Bardi & África & Goya Lopes

Casa do Benin. Foto: Fábio Marconi.

Você conhece a Casa do Benin? Vá e entenda o que Pierre Verger, Lina Bo Bardi, África e Goya Lopes têm em comum. Inaugurado em 1988, o espaço fica em um casarão na Rua Padre Agostinho Gomes, perto do Taboão, lá no Pelourinho.

A Casa tem, entre outras coisas, um acervo composto por cerca de 200 peças originárias do Golfo do Benin, colecionadas pelo fotógrafo, etnólogo e antropólogo francês Pierre Verger ao longo de suas expedições realizadas à África.

Os lindos panos estampados com motivos africanos, são de autoria da artista Goya Lopes. Para completar, esta é mais uma obra com arquitetura de Lina Bo Bardi, arquiteta modernista ítalo-brasileira, conhecida por ter projetado o Museu de Arte de São Paulo (MASP). Lindo de morrer.

Serviço
Casa do Benin
Baixa dos Sapateiros, 7 – Pelourinho, Salvador-BA, 40025-005
Horário de funcionamento: de Segunda a Sexta-feira, das 9h às 17h.
A entrada custa R$ 4.
Telefone: (71) 3202-7890

Ancestralidade na veia

MAFRO – Museu Afro-Brasileiro da UFBA. Foto: Fábio Marconi

O Museu Afro-Brasileiro da Universidade Federal da Bahia é um dos poucos no país a tratar exclusivamente das culturas africanas e a sua presença na formação da cultura brasileira. O museu, que foi primeiro organizado por Pierre Verger, está instalado no edifício da primeira escola de Medicina do Brasil, que hoje é propriedade da Universidade Federal da Bahia.

Há também objetos de origem brasileira, relacionados com a religião afro-brasileira da Bahia, incluindo um conjunto de talhas em cedro de autoria de Carybé, 27 painéis representando os orixás do candomblé da Bahia.

Serviço
MAFRO – Museu Afro-Brasileiro
Largo Terreiro de Jesus, Pelourinho.
Horário de funcionamento: de Segunda a Sexta, das 9h às 17h.

We are Carnaval! We are folia!

Casa do Carnaval – coleções. Foto: Fábio Marconi

Um museu permanente que conta a história da folia baiana. Essa é a ideia da Casa do Carnaval, que em quatro pavimentos convidao visitantea fazer uma viagem visual e sensorial, com diversos recortes temáticos da festa, relembrando transformações sociais e da formação da identidade baiana.

Este museu da folia possui maquetes, roupas e instrumentos emprestados por artistas da festa, fotos e documentos históricos e dois cinemas. Várias projeções em vídeo também fazem parte do acervo (cada visitante faz sua “viagem” pela casa de forma particular, com o uso de fones de ouvido). Imperdível!

Serviço:
Casa do Carnaval
Praça Ramos de Queirós, s/n – Pelourinho, Salvador – BA, 40026-055
Aberto de Terça a Domingo, das 11 às 19h.
A visitação será espontânea, com cobrança de ingresso no valor de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Os sabores da Bahia

Museu da Gastronomia. Pelourinho, Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Uma das culinárias mais ricas do mundo, a comida baiana tem Status de ponto turístico entre os visitantes. O acarajé, abará, o coentro, o molho “lambão”, são tão famosos – e “visitados” – quanto a Igreja do Senhor do Bonfim ou o Farol da Barra. Nossa dica aqui é conhecer a história disso tudo. O Museu da Gastronomia Baiana, iniciativa do Senac-Bahia, busca valorizar os diferentes sistemas alimentares da Bahia nos contextos históricos, culturais, sociais e gastronômicos.

Tem como missão informar, valorizar e divulgar a comida da Bahia nos seus mais variados contextos, com foco no olhar patrimonial agregado ao olhar gastronômico. No Restaurante-museu-escola o visitante pode comer um rico e variado cardápio de pratos salgados e doces que atestam as cozinhas que vão do Recôncavo até o Sertão. Para ficar ainda mais legal, ele fica em pleno Pelourinho, fazendo desta experiência uma imersão em si.

Serviço
Museu da Gastronomia Baiana
Localização: Praça José de Alencar, 13/19 – Largo do Pelourinho, Salvador – BA
Funcionamento: de Segunda a Sexta, das 09h às 17h30. Sábados, das 09h às 15h.
Tel.: +55 71 3324.8118
Site: http://www.ba.senac.br/museu
E-mail: museu.gastronomia@ba.senac.br


Museu da Misericórdia. No Salão Nobre, a cadeira feita exclusivamente para a visita de D. Pedro II, em 1859. Foto: Fábio Marconi.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60
61
62
63
64
65
66
67
68
68

Outros Roteiros

Ver Agenda completa
02dez
03dez
04dez
05dez
06dez
07dez
08dez
09dez

Nosso blog

Blog
Natal Salvador 2022. Praça do Campo Grande. Lucas Moura Secom.

Natal Salvador 2022. Praça do Campo Grande. Lucas Moura Secom.

Farol da Barra. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Farol da Barra. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Velho Espanha, um bar metalinguístico: Localizado no Centro, falando do Centro. Fotos: Amanda Nascto /Assessoria.

Velho Espanha, um bar metalinguístico: Localizado no Centro, falando do Centro. Fotos: Amanda Nascto /Assessoria.

Centro de Convenções de Salvador. Bahia. Foto divulgação.

Centro de Convenções de Salvador. Bahia. Foto divulgação.