Histórias dos bairros de Salvador: Ribeira

Salvar nos favoritos

Do sorvete aos saveiros: conheça o bairro da Ribeira

Prática de remo e museu do sorvete são atrações turísticas

Terminal Marítimo de Plataforma x Ribeira. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Ribeira rima com sorvete, pôr-do-sol e cultura. Localizado na Península Itapagipana na Cidade Baixa, em Salvador, o bairro da Ribeira tem a famosa Sorveteria da Ribeira, fundada em 1931, como o mais conhecido point para turistas. Mas, o bairro é muito mais do que um ótimo lugar para tomar um delicioso sorvete.

Surgido como uma aldeia de pescadores, nos anos 1930 a Ribeira era um disputado lugar para o veraneio de famílias da Bahia. O bairro possui uma marina onde, até hoje, são atracadas embarcações – especialmente os saveiros que ficam ancorados na Enseada dos Tainheiros.

No verão, os saveiros dividem espaço nas águas calmas com as competições de remo. A vocação marítima do bairro já vem do nome Ribeira que é uma expressão de Portugal que significa “ancoradouro para reparação de naus“, segundo informações do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB). Do sorvete aos saveiros: conheça o bairro da Ribeira e organize sua próxima visita.

Praia da Ribeira

Sorvete e história

Sorveteria da Ribeira. Foto: Fábio Marconi

A Sorveteria da Ribeira, aberta em 1931 e localizada em frente à praia, é um dos pontos turísticos mais conhecidos de Salvador. São quase 100 opções de sabores que você pode tomar enquanto passeia pela beira-mar. Ela foi fundada pelo italiano Mário Tosta, que fabricava e vendia pizza e sorvetes. Foi um dos primeiros estabelecimentos do ramo na península. Em 1964, o atual dono, o espanhol José Lorenzo Hermida, comprou a sorveteria do italiano e manteve a tradição.

Sorveteria da Ribeira

Mas a famosa sorveteria não é o único espaço dedicado ao sorvete no bairro. Em 2019, o Solar Amado Bahia – localizado no Porto dos Tainheiros – foi reformado pela empresa Sorvetes Real e foi transformado no Museu do Sorvete. O casarão, que tem 107 portas, é uma preciosidade da arquitetura baiana.

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan) em 1981, o solar estava completamente abandonado desde 1993, após um imbróglio judicial envolvendo uma fábrica que funcionou no local. Construído pelo comerciante de carnes Francisco Amado Bahia, o local é, agora, um espaço para conhecer e saborear deliciosos sorvetes.

Solar Amado Bahia

Ainda no quesito gastronomia, a Ribeira tem ótimas pastelarias, acarajé e bares com petiscos regionais e música ao vivo que são bem movimentados, especialmente nos finais de semana, na região do Largo da Ribeira, área central do bairro.

Para todos os gostos

Orla da Ribeira. Foto: Fábio Marconi

O passeio pela Ribeira atende a todos os gostos. O calçadão da orla da Avenida Beira Mar é um convite à prática de atividades físicas, com direito a uma bela vista e um pôr-do-sol incrível. Um dos maiores largos da Península de Itapagipe, o Largo do Papagaio, está localizado em uma das entradas para a Ribeira. No local, acontecem diversas competições de futebol amador.

A Ribeira, que está localizada perto da tradicional Basílica do Senhor do Bonfim, é também um bairro que desperta a religiosidade. Lá, está localizada a igreja Nossa Senhora da Penha, que é uma das seis igrejas construídas na Cidade Baixa. Ela fica na beira da praia e foi construída em 1742, pelo Arcebispo Dom José Botelho de Matos. Um fato interessante dessa igreja é que ela foi a ”casa” das imagens de Nosso Senhor do

Bonfim e Nossa Senhora da Guia, quando vieram de Portugal, em 1743. Elas ficaram lá guardadas até que a basílica ficasse pronta.

Diversão das boas

Comer um cozido (um ensopado de carnes com verduras e pirão de farinha de mandioca) na segunda-feira com direito a muito samba. Curtiu a mistura? É isso que acontece na tradicional festa da Segunda-feira Gorda da Ribeira, que ocorre na primeira segunda-feira após a Lavagem do Bonfim, em janeiro. A comemoração teve início no século XIX como uma extensão da tradicional lavagem.

No dia da Segunda-feira Gorda da Ribeira, as pessoas ainda seguem blocos e fanfarras por toda a extensão do bairro, a partir da Avenida Beira Mar, sempre com muita alegria e entusiasmo. A festa já foi bem grande, com trios elétrico e afoxés, também considerada como prévia do Carnaval. Hoje em dia, bem mais vazia, vem sendo redescoberta por turistas e pelos próprios moradores.

No verão, outro espaço que atrai milhares de pessoas para a Ribeira é o projeto do Mercado Iaô, que reúne gastronomia, artesanato e programação cultural
Em uma área de 7.000 m², o Mercado Iaô funciona como espaço multicultural dentro da Fábrica Cultural, ONG presidida por Margareth Menezes. A Fábrica Cultural ocupa a área da antiga Fábrica Nossa Senhora Aparecida, na Ribeira.

Orla da Ribeira. Foto: Fábio Marconi

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
13
Seu bolso
Localização
R. da Penha, 87 - Ribeira, Salvador - BA, 40421-110

Outras experiências

Agenda

30
set
01
out
02
out
03
out
05
out
06
out
07
out
Ver mais em Agenda