Mitologias Da Rua Chile

Salvar nos favoritos

Um passeio pelas mitologias da primeira rua do Brasil

Para os baianos, os personagens dessas histórias reviverão muitas memórias. Aos turistas, agora há a chance de conhecer a primeira Rua do Brasil por um outro olhar

Por Gabriel Bastos 

A Praça Castro Alves, no Centro de Salvador, pode ser vista como um ponto de partida ou de chegada. Como assim? É lá que se reúnem as pessoas que descem a Avenida Sete em direção ao Centro Histórico, para tomar um fôlego, enquanto admiram uma das melhores vistas da Baía de Todos-os-Santos. Ali, também é o início de uma das ruas mais famosas do país. Para ser mais preciso, a primeira rua do Brasil: A Rua Chile!

Rua Chile. Centro Histórico. Salvador Bahia. Foto Fábio Marconi .

Seu tamanho pode até ser curto, mas, ao longo dos 400 metros da Rua Chile, estão alguns dos locais mais famosos da cidade. Dividindo a Praça Tomé de Souza, estão: a Sorveteria Cubana, na entrada do Elevador Lacerda, a sede da Prefeitura de Salvador e o Palácio Rio Branco. A própria Praça Castro Alves – que guarda os restos mortais do Poeta – e famosos prédios como os dos hotéis Fera Palace e Fasano também encontraram na Rua Chile sua morada.

Tão simbólicos quanto esses tantos cartões postais e pontos turísticos são as mitologias que formam a Rua Chile. Lá, artistas consagrados como Jorge Amado, e até mesmo de fora do país, e que se hospedavam no Palace, como Keith Richards e Orson Welles, caminharam ao longo dos seus poucos metros. Prédios, personalidades, becos, praças… São tantos personagens que deram e ainda dão vida à rua, que nos foi preciso incrementar essa experiência de ir à Rua Chile.

Rua Chile já teve muitos outros nomes

Palácio Rio Branco. Rua Chile. Centro Histórico. Salvador Bahia. Foto: Leonardo Yasuda (@drone_ly)

A Rua Chile foi construída em 1549 por Tomé de Souza, junto com o próprio nascimento da cidade de Salvador. Antes de ter este nome, no entanto, já foi Rua Direita dos Mercadores e Rua Direita do Palácio, pela proximidade do Palácio Rio Branco. Só em 1902, a então Rua Direita do Palácio virou Rua Chile. O nome tem origem em uma homenagem ao governo chileno, após a morte de oficiais daquele país, que adoeceram em Salvador.

Jorge Amado costumava se referir à Rua Chile como o coração da cidade. Nos tempos do autor, era lá que Salvador pulsava. Com o projeto de modernização de 1910, a rua se expandiu tanto em tamanho, quanto em importância.

Primeiro hotel de Salvador foi aberto na Rua Chile

Nas décadas seguintes, a Rua Chile se tornou um dos espaços comerciais mais importantes da cidade. Ela era sinônimo de elegância e modernidade. Lá, foram instalados os primeiros postes de luz a gás da cidade e a primeira linha de bonde. Também foi a Rua Chile que recebeu o primeiro hotel de Salvador, o Meridional, que atualmente chama-se Edifício Bráulio Xavier, e é adornado com um belíssimo painel do artista argentino Carybé. Por falar em hotel, o que mais marcou a história da Rua Chile foi o Palace, construído em 1934 e inspirado no Flatiron Building de Nova York.

Fera Palace Hotel. Rua Chile. Centro Histórico. Salvador Bahia. Foto Fábio Marconi Mavir Turismo LR Turismo

Hoje, chamado Fera Palace, além de uma referência de hotelaria de luxo, o hotel se transformou em um dos pontos turísticos da região. Com sua fachada que chama a atenção, o Fera atrai muitos turistas ao Lounge, espaço no terraço do hotel, presenteado com uma vista privilegiada da Baía de Todos-os-Santos.

Comércio foi impulsionado pela Rua Chile

Durante décadas, a Rua Chile se destacou pelas inúmeras lojas de vestuário e departamento, como a “Duas Américas” e a “Casa Sloper”, onde a alta sociedade encontrava as últimas novidades da moda mais recente. Sapatos, chapéus, tecidos dos mais diversos, vestidos, paletós… nada perdia para os pólos comerciais do Rio de Janeiro e São Paulo.

Se você estiver se questionando o porquê dessas lojas terem recebido destaque nesse texto, a resposta é simples: seu impacto não era sentido apenas na rua Chile, mas em Salvador inteira. Fora sua importância econômica, algumas dessas lojas foram grandes marcos na modernização da cidade. A extinta Duas Américas, por exemplo, deu espaço à primeira escada rolante de Salvador, em 1958. Outros locais como a “Adamastor” – do pai do cineasta Glauber Rocha – e a “Chapelaria Mercouri” – do bisavô da cantora Daniela Mercury – até hoje estão na memória coletiva dos mais velhos.

Dos prédios aos personagens

Os prédios e casarões também ficaram na história como cenários por onde personagens místicos da cidade transitavam. Talvez a figura mais famosa tenha sido a Mulher de Roxo. Vestida com uma grande bata roxa e um crucifixo no peito, tal qual uma freira, era sempre vista em frente à Sloper, antiga loja da região. Ela se tornou parte do folclore local e foi citada até em músicas de artistas baianos, como no caso de Pitty e a banda Cascadura.

Outro grande personagem da Rua Chile no passado foi o guarda de trânsito Armando Marques da Silva, o Pelé. Numa época em que semáforos ainda eram poucos, cabia à polícia militar controlar o trânsito. E, na Rua Chile, um dos encarregados desse trabalho era Pelé. O guarda ficou famoso por colocar ordem na agonia das ruas, enquanto dançava coreografias elaboradas, dignas de verdadeiras performances! O sucesso de Pelé era tamanho que amontoava de espectadores alguns trechos da região.

O local da boemia

A Rua Chile também sempre foi sinônimo de boemia e era onde as camadas artísticas e intelectuais costumavam se encontrar para confabular, nas livrarias e cafés, sobre o cenário político e cultural de Salvador. O cassino do Hotel Palace, os dancings e cantos movimentaram a noite do centro da cidade.

A elegância era a regra. A sorveteria Cubana, que se encontra no mesmo endereço até hoje, na entrada do Elevador Lacerda, era um dos lugares perfeitos para encontros. Mesmo naquela efervescência comercial, moças e rapazes trocavam olhares, flertes e sorrisos, tendo como cenário perfeito a vista da Baía de Todos-os-Santos à frente.

Passear pela Rua Chile é relembrar a história

A Rua Chile foi palco de importantes expressões da cultura baiana. Por muitos anos, o local foi epicentro das comemorações do período de Carnaval. Por lá, se reuniam as marchinhas e blocos no início dos cortejos. Por outro lado, pela Rua Chile, passaram aqueles que se reuniam nos arredores do Terreiro de Jesus para formar os primeiros movimentos negros. Era também nessa rua que ficava “A Casa Africana”, que se destacava pela venda de diversos produtos finos de origem africana.

Ir à Rua Chile é respirar a potência cultural e histórica de Salvador no restante do país e do mundo. É lá que se inicia uma parte fundamental da fundação do Brasil como nação. Alguns marcos como o Elevador Lacerda, primeiro elevador urbano do mundo, e o Palácio Rio Branco, antiga sede do governo da Bahia e que já abrigou Dom Pedro II, estão aí para provar a importância da Rua Chile na nossa história. Visitar a primeira rua do país é uma experiência que se renova a cada ano, um emaranhado de história, tradição e cultura que fomenta nosso entendimento de Brasil como nação.

Serviço:

Hotel Fasano
Praça Castro Alves, 5 – Centro, Salvador – BA, 40020-160
T: +55 71 2201 6300 E: ssa@fasano.com.br
Reservas de hospedagem T: +55 71 2201 6300 : +55 71 99918 9594

Fera Palace
Local: Centro Histórico – Rua Chile, 20 – Comércio, Salvador – BA, Brasil
Contato: (71) 3036-9200.
Horário do Restaurante Omí:
Café da Manhã – todos os dias, das 7h às 10h00.
Almoço – Quarta a Sábado, das 12h às 15h; Domingo e feriado, das 12h às 15h.
Jantar – Quarta a Sábado, das 19h às 23h00
Lobby Bar – todos os dias das 07h às 23h.

Elevador Lacerda
Ingresso: R$ 0,15 centavos cada viagem.
Horário de funcionamento:
De segunda a sexta-feira, das 7h às 17h30. Sábados, das 8h às 17h. Aos domingos, ele não opera (durante a pandemia do novo coronavírus).
Acessibilidade: trajeto com dificuldades e parapeito muito alto para cadeirante. A cabine do elevador tem bom espaço para cadeirantes.
Local: da Cidade Baixa: Praça Visconde de Cayru, Comércio. Da Cidade Alta: Praça Municipal (Praça Tomé de Souza s/n Centro Salvador -BA 40020-000), Centro Histórico, Salvador.
Tel.: (71) 3202-7655
E-mail: elevadorlacerda.secultssa@gmail.com

Sorveteria Cubana
Elevador Lacerda. Endereço: Praça Tomé de Souza, S/N – Centro, Salvador – BA, 40020-000. Telefone: (71) 3322-7000. Horário de funcionamento: todos os dias das 08h às 20h

Palácio Rio Branco
Endereço: Praça Tomé de Souza, S/N – Centro, Salvador – BA, 40020-000
Telefone: (71) 3116-6928
Funcionamento: Fechado temporariamente em decorrência da pandemia do novo coronavírus
Importante: a visitação do segundo piso é proibida a visitantes.
Acessibilidade: a porta central tem acesso por alguns degraus, não havendo rampa. Todo o térreo tem ampla circulação, sem degraus ou desníveis. Há uma rota acessível do Pelourinho, esse blog possui muita informação atualizada a esse respeito neste link.



Experiências em Salvador

Agenda

27
maio
28
maio
29
maio
30
maio
31
maio
01
jun
02
jun
03
jun
Ver mais em Agenda