Sociedade Protetora dos Desvalidos

Salvar nos favoritos

Conheça o importante trabalho desta organização que há 190 anos dedica-se a apoiar a comunidade negra em Salvador

Instituição foi fundamental para a sobrevivência de muitos negros no pós-abolição

Primeira organização civil negra do Brasil, fundada em 16 de setembro de 1832, a Sociedade Protetora dos Desvalidos (SPD), na época chamada de Irmandade de Nossa Senhora da Soledade Amparo dos Desvalidos, foi criada com o objetivo de fazer uma junta de alforria dos negros escravizados e para prestar assistência aos sócios e seus familiares.

A sede está instalada em um prédio no Largo Cruzeiro de São Francisco, em Salvador, desde 1887. Por lá, os visitantes podem ter acesso a livros, atas, retratos e outros registros do tempo da escravidão. A organização segue com atuação ativa, atualmente, em causas sociais.

Com o lema “Fraternidade e Caridade”, a SPD surgiu para ajudar a população negra durante a escravidão, mas também atuou no pós abolição, tentando prestar auxílio na doença e na fome. A Sociedade foi fundada pelo africano Manoel Victor Serra, que se reuniu com outros homens negros, entre marceneiros, carroceiros, carregadores de água e trabalhadores de ganho, para fazer uma assembleia na Capela dos Quinze Mistérios, no Santo Antônio Além do Carmo.

A Sociedade Protetora dos Desvalidos destacou-se, dentre as irmandades negras da cidade de Salvador, por abrigar negros adeptos a outras religiões que não o catolicismo. Em 13 de maio de 1888, a princesa Isabel de Bragança assinou a lei Áurea, que extinguiu a escravidão no Brasil. Nessa época, a Sociedade começou também a proporcionar segurança social aos seus membros idosos ou enfermos, visto que o Brasil não possuía programas governamentais que prestassem esse tipo de auxílio.

Quando associados ficavam doentes, desempregados ou até quando familiares faleciam, a entidade estava presente para prestar apoio. O local também era um espaço de convivência entre trabalhadores negros livres, mas depois que o governo instituiu políticas públicas, a Sociedade perdeu uma boa quantidade de membros associados. A SPD conseguiu se manter viva por conta de investimentos imobiliários.
Hoje, a Sociedade tem 170 sócios ativos e sobrevive com a renda de imóveis, sendo que alguns foram herança de antigos membros. Apesar de não ser mais um órgão vital, a Sociedade ainda ajuda a comunidade negra e, em sua sede, realiza seminários, conferências e cursos profissionalizantes. O público-alvo é sempre constituído por pessoas negras de comunidades carentes.

A SPD possui uma casa de apoio a estudantes africanos e quilombolas, localizada na Ladeira do Pepino, n° 65, no Engenho Velho de Brotas, e um espaço de apoio ao empreendedor negro no Largo do São Francisco, n° 19, no Pelourinho. Além disso, a Sociedade tem uma parceria com a Rota dos Quilombos, ação que permite conhecer as comunidades quilombolas da Bahia e de outros estados, para fortalecer os laços e os ideais de irmandade. Nesses quilombos, são promovidos cursos e feiras.

Há mais de três anos, a SPD mantém uma roda de conversa terapêutica semanal, coordenada por psicólogas negras, voltada para mulheres negras em sofrimento psíquico. A Sociedade também realiza a doação de cestas básicas para famílias das periferias e comunidades quilombolas. Para mais informações sobre como participar, entre em contato pelas redes sociais ou através do telefone fixo.

Serviço

Sociedade Protetora dos Desvalidos
Endereço: Largo do Cruzeiro de São Francisco, 017 – Centro, Salvador – BA, 40026-010
Horário de funcionamento: Seg a sex – 9h às 18h
Instagram: @spd_sociedadeprotetora
Facebook: @SPDesvalidos
Telefone: (71) 3322-6913

Sociedade Protetora dos Desvalidos. Pelourinho. Salvador Bahia. Foto divulgação.

1
2
3
4
5
5
Seu bolso
Localização
Largo do Cruzeiro de São Francisco, 017 – Centro, Salvador – BA, 40026-010

Outras experiências

Ver Agenda completa
09dez
10dez
11dez
12dez
13dez
14dez
15dez
16dez

Nosso blog

Blog
Natal Salvador 2022. Praça do Campo Grande. Lucas Moura Secom.

Natal Salvador 2022. Praça do Campo Grande. Lucas Moura Secom.

Farol da Barra. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Farol da Barra. Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

Velho Espanha, um bar metalinguístico: Localizado no Centro, falando do Centro. Fotos: Amanda Nascto /Assessoria.

Velho Espanha, um bar metalinguístico: Localizado no Centro, falando do Centro. Fotos: Amanda Nascto /Assessoria.

Centro de Convenções de Salvador. Bahia. Foto divulgação.

Centro de Convenções de Salvador. Bahia. Foto divulgação.