Atelier Raimundo Santos Bida

Salvar nos favoritos

Da ludicidade da arte Naif, passando pelo flerte com o surrealismo e o cubismo

Ir a galeria de Raimundo Santos Bida é passear por diversos estilos, impossíveis de serem classificados sem um estudo aprofundado, uma dedicação de tempo ou um “desacelerar do seu olhar”. Segundo o artista, é uma viagem que começa pela metafísica, sentimentos e valores. Nas telas que tomam paredes e cavaletes, estão em exposição obras com paisagens lúdicas, a naturalidade do que está ao seu redor, personagens regionais do nordeste Brasileiro, a cultura local, o caráter musical, religioso, a família e o viver em comunidade.

Especialista em Arte Naïf. O pintor conhecido como Bida, já tem seu trabalho reconhecido em boa parte do Brasil, Estados Unidos, Europa e outras partes do mundo e ganha cada vez mais novos admiradores. Seu Ateliê fica na Ladeira do Carmo, próximo à escadaria da Igreja do Passo e acaba de abrir uma linda galeria na esquina da Rua Laranjeiras, no Pelourinho.

Dentro desta arte Naif, Bida apresenta também transparências, perspectiva, profundidade, composição, sombra e luz, sombra projetada, reflexos. É possível ver ainda perspectiva aérea e a densidade do ar, te fazendo ver a profundidade das cores, uma visão difusa e neblinada. De fato Bida não é um artista ingênuo, como a descrição purista para “Naif” supõe.

“… isso tudo fortalece mais o conceito, todo o processo de utilizar as técnicas e os elementos para ir além. Vem o apelo de falar mais, muito mais, a ir mais além. Uma vontade de mostrar o que não se vê a olho nu, o que você não pode pegar, o que você sente. É materializar o cheiro de uma rosa (flor). Um flerte até com o surrealismo, usando a base da arte Naif. E se me perguntar que estilo é esse eu respondo: É um Bidismo!” (risos), explica o artista.

O Fantástico mundo de Bida

Galeria Raimundo Santos Bida.Pelourinho, Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

O contraste da luz está sempre presente de uma forma muito delicada. O rasgo, o facho de luz, é uma das suas assinaturas – o que o artista chama de “janelas”. Elas estão impregnadas na arte de Bida, com essas transparências que ele explica ser uma técnica chamada “Vela Dura” – velando parte da cena, usando uma cor por cima da outra, sem que elas se misturem.

Bida também descreve seu trabalho como um “belo namoro com o cubismo, usando as técnicas da aquarela porém usando as formas cúbicas nas sombras e brinca com as pinceladas espontâneas”. O que faz das obras terem muita luz e muita cor. Mesmo usando a cor azul, uma cor fria, Bida esquenta com a luminosidade.

Numa outra fase, que ele brinca dedicar à Calixto Sales (artista e amigo), um erro no processo o faz enxergar outras possibilidades de contrastes e luminosidades. Uma fase de azul profundo, que toma quase que por completo a tela.

“Foi por causa do Calixto que eu errei a tela e pintei tudo de azul. Foi quando eu enxerguei a “noite de luar, sem o colorido.” explica o Bida.

Foi a partir de uma troca de material feita com o artista Irineu Álves – artista impressionista de Salvador, que Bida começa seus ensaios com a tinta acrílica azul Ultra Mar que hoje é tão marcante em seus trabalhos. No começo, Bida só fazia os riscos iniciais e com os estudos, os testes de técnicas, num trabalho de volumes e movimentos, foi amadurecendo a ideia. Até que chegou ao conceito de azulejaria portuguesa, um trabalho monocromático proposital para se parecer com a azulejaria, porém em tela.

Quem quiser adquirir uma obra do artista pode escolher se quer levar só a tela enrolada e embalada num canudo propício para isso ou se já afixada no chassi e colocada em uma caixa para envio seguro. Bida também faz obras sob medida, depois de uma conversa com o cliente, ele desenvolve a arte. Suas obras estão na Galeria Jacques Ardies – maior galeria de arte Naif em São Paulo; Galeria Geraldes da Silva, Porto, Portugal, além de coleções particulares, em museus, em fundações e instituições pelo mundo a fora.

Bida também tem dois painéis gigantes na Rodoviária de Salvador: 3 metros de altura por 10 metros de comprimento, uma obra de 2001. E por falar em mega painel, ele deve ser o autor de um dos maiores – se não o maior – quadro do mundo e definitivamente o maior pintado por ele: uma obra em formato tríptico com 20 metros de comprimento e 1,68 de altura e outra com 40 metros quadrados – 5m por 8m.

Este painel faraônico se encontra na Fundação Jacobs, um conglomerado de empresas que fica no sul da Alemanha, no Castelo de Marbach e o Castelo Bela Vista às margens do Lago Constance, fronteira com a Suiça.

Depois de todos esses anos de trabalho, Bida já realizou exposições na Alemanha, Portugal, Holanda, Suíça, Estados Unidos, Espanha, França e Inglaterra. Saiba mais sobre a trajetória do artista neste link.

Serviço

Galeria Raimundo Santos Bida
Endereço: Rua das Laranjeiras, Pelourinho. Centro Histórico de Salvador.

Atelier Raimundo Santos Bida
Endereço: Ladeira do Carmo, 36 – Pelourinho, Salvador – BA, 40301-410
Horário de Funcionamento: De Segunda a Sexta, das 10h às 18h e Sábados até às 17h.

Preparamos uma lista com músicas perfeitas para esta experiência. Ouça agora!

Atelier Raimundo Santos Bida. Pelourinho, Salvador, Bahia. Foto: Amanda Oliveira.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
20
Seu bolso
Localização
Ladeira do Carmo, 36 - Pelourinho, Salvador - BA, 40301-410

Outras experiências

Agenda

05
jun
06
jun
08
jun
09
jun
10
jun
11
jun
12
jun
Ver mais em Agenda